Ex-funcionários dos governos Kirchner e empresários são presos acusados de corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 02/08/2018 07h20
EFEA ex-presidente Cristina Kirchner, hoje senadora, foi convocada a prestar esclarecimentos

A Justiça argentina determinou a prisão de mais de dez ex-funcionários e pessoas vinculadas aos governos de Néstor e Cristina Kirchner. Os presos estariam ligados a uma rede de corrupção que tinha o objetivo de desviar milhões de dólares destinados a obras públicas.

As provas do crime são oito cadernos mantidos por um ex-funcionário do ministro do Planejamento no período kirchnerista, com nomes, valores e descrição das transações.

Entre os casos famosos que figuram nas anotações estão o endereço do convento de freiras onde o funcionário José Lopez, hoje preso, guardou 9 milhões de dólares. Aliás, o próprio ministro está preso por outro processo de corrupção.

O juiz responsável pelo caso, Claudio Bonadio, afirmou que as prisões devem seguir nos próximos dias e que sua investigação calcula um total de 160 milhões em desvios de verba pública.

Também foram convocados a dar esclarecimentos a ex-presidente Cristina Kirchner, hoje senadora, seu ex-chefe de gabinete Juan Manuel Abal Medina e seu ex-chefe de inteligência, Oscar Parrilli.

*Informações do repórter Victor Moraes