Flamengo e Prefeitura devem responder sobre mortes no Ninho do Urubu, avaliam especialistas

  • Por Jovem Pan
  • 11/02/2019 06h11
Reprodução/ GloboO local tinha várias irregularidades, a começar por não possuir alvará de funcionamento da Prefeitura, e nem o documento de autorização do Corpo de Bombeiros

As responsabilidades sobre a tragédia envolvendo as mortes das crianças e jovens no Ninho do Urubu, Centro de Treinamento do Flamengo, podem abranger além do clube, agentes públicos. Esta foi a avaliação de especialistas ouvidos pela Jovem Pan.

O local tinha várias irregularidades, a começar por não possuir alvará de funcionamento da Prefeitura, e nem o documento de autorização do Corpo de Bombeiros. Os peritos que investigam as causas do incêndio que matou 10 atletas apuram se havia poliuretano, material inflamável e de alta combustão, na estrutura dos contêineres.

O poliuretano é a substância usada na Boate Kiss, que pegou fogo em 2013, deixando 242 pessoas mortas em Santa Maria, no Rio Grande do Sul. Quando em chamas, o material provoca uma fumaça carregada de gases tóxicos.

O criminalista e professor do IDP, Conrado Gontijo, indicou que a Prefeitura do Rio de Janeiro corre o risco de ser responsabilizada na Justiça, se comprovada negligência.

O que parece ser unanimidade é que o Clube de Regatas Flamengo tem responsabilidade direta no caso. Para Luis Fernando Prudente do Amaral, professor de Direito da FAAP, a Prefeitura do Rio de Janeiro deve aprimorar a fiscalização.

Em um pronunciamento, sem direito a perguntas de jornalistas, o CEO do Flamengo disse que as multas e alvarás não têm nada a ver com o acidente. Reinaldo Belotti falou que o alojamento onde os jogadores da base estavam não era um “puxadinho”.

Em nota a Confederação Brasileira de Futebol se pronunciou sobre o caso destacando que a entidade cumpre rigorosamente suas atribuições e esclareceu que o Certificado de Clube Formador concedido ao Flamengo é um documento de âmbito esportivo e não substitui a fiscalização do poder público.

*Informações do repórter Daniel Lian