General Augusto Heleno defende diferenciação de militares em futura reforma da Previdência

  • Por Jovem Pan
  • 30/10/2018 06h26
Agência Brasil"Não somos funcionários públicos, não pode ser jogado no bolo das outras. Tem que ser tratado com a devida exclusividade", disse o general da Reserva

A reforma da Previdência vai incluir militares, que merecem um tratamento especial e diferenciado. A avaliação foi feita nesta segunda-feira (29), no Rio de Janeiro, pelo futuro ministro da Defesa de Jair Bolsonaro, general Augusto Heleno.

Ele afirmou que a carreira de militar tem suas peculiaridades que precisam ser levadas em consideração em uma futura reforma da Previdência. Essa é uma das principais bandeiras do governo do novo presidente eleito.

Para reduzir os gastos, será preciso atacar, segundo Paulo Guedes, futuro ministro da Fazenda, a Previdência Social. Mas o general da Reserva Augusto Heleno entende que há diferenças claras entre a carreira de um militar e de um civil.

Algumas coisas podem ser discutidas, mas é uma profissão totalmente diferente, com série de imposições profissionais. Não somos funcionários públicos, não pode ser jogado no bolo das outras. Tem que ser tratado com a devida exclusividade. Tem muitas coisas que são exclusivas dos militares como não ter fundo de garantia, trabalha sábado e domingo, passa uma semana na selva”, disse.

*Informações do repórter Rodrigo Viga