Governo de SP articula com OSs meios de manter serviços em equipamentos culturais

  • Por Jovem Pan
  • 09/04/2019 08h50
Divulgação/DEMO vice-governador e secretário de governo, Rodrigo Garcia, se reuniu a portas fechadas com os diretores das OSs e o secretário de Cultura, Sérgio Sá Leitão, para rediscutir o orçamento

O governo de São Paulo articula com as 18 organizações sociais de cultura do Estado como manter os serviços nos equipamentos culturais. Isso apesar do contingenciamento de gastos previsto em decreto que atinge cerca de 23% do orçamento da Secretaria de Cultura e Economia Criativa.

Na noite desta segunda-feira (08), o vice-governador e secretário de governo, Rodrigo Garcia, se reuniu a portas fechadas com os diretores das OSs e o secretário de Cultura, Sérgio Sá Leitão, para rediscutir o orçamento.

Na reunião, os diretores apresentaram um parecer com os prejuízos que poderiam ser causados a mais de 20 programas ou equipamentos culturais, caso o contingenciamento fosse mantido.

Entre eles estão a Orquestra Sinfônica do Estado de São Paulo (OSESP), a Biblioteca de São Paulo, a Pinacoteca de São Paulo, as Fábricas de Cultura e São Paulo Companhia de Dança.

Nesta segunda-feira, o governador João Doria afirmou não haverá cortes ou interrupções nos serviços ou programas da Secretaria de Cultura.

A polêmica em torno do orçamento disponível para equipamentos culturais surgiu após a divulgação de que unidades do Projeto Guri seriam fechadas por falta de verba. Doria voltou atrás na decisão, mas o fato acabou chamando a atenção para possíveis cortes em outros programas culturais e a discussão chegou à Assembleia Legislativa de São Paulo.

O líder do PSOL, deputado Carlos Giannazi, entrou com representação no Ministério Público de São Paulo, solicitando que a instituição faça intervenção no contingenciamento previsto. O deputado também apresentou um projeto de decreto legislativo na Casa para revogar de maneira mais ampla os cortes orçamentários previstos no decreto de contingenciamento do governo.

Giannazi ainda sugere que o governo faça cortes na verba da própria Assembleia. A Casa possui um orçamento que ultrapassa R$ 1 bilhão e nada foi contingenciado no último decreto.

*Informações da repórter Victoria Abel