Inteligência das instituições vem falhando muito, diz ex-secretário de segurança pública

  • Por Jovem Pan
  • 17/02/2018 11h48
Reprodução/YoutubeSegundo o coronel, com o anúncio da intervenção federal no Rio, os criminosos devem tomar precauções e já se tem informações de que um deslocamento de armas das favelas para locais mais seguros está sendo realizado

O ex-secretário nacional de Segurança Pública coronel José Vicente disse, em entrevista exclusiva à Jovem Pan, que a Inteligência das instituições brasileiras, principalmente da Polícia federal, vem falhando muito. Segundo ele, o problema na fiscalização no entrega de recursos para o crime organizado nas favelas é um dos grandes problemas.

“O Governo Federal que anuncia soluções também está devendo soluções, já que há muito tempo continua um fluxo de armas, munições e drogas, que são instrumentos de poder das facções criminosas do Rio de Janeiro. A expectativa é que a gente tenha uma concentração na fronteira do estado do Rio com outros estados e outra que separa as favelas, onde chegam os suprimentos para o crime organizado”, afirmou Vicente.

Segundo o coronel, com o anúncio da intervenção federal no Rio, os criminosos devem tomar precauções e já se tem informações de que um deslocamento de armas das favelas para locais mais seguros está sendo realizado, o que deve ser detectado pela Inteligência das Forças Armadas. Além disso, o ex-secretário informou que deve ocorrer um trabalho para descobrir os policiais do Rio de Janeiro que estejam vinculados ao crime organizado.

“Há um problema de infiltração de alto a baixo nas polícias para vender conveniência para os criminosos, o que acabou ajudando no fortalecimento dessas facções. Essa é uma questão que não se resolve de imediato, e a população nem vai perceber isso, mas que vai, de alguma maneira, promover uma melhoria de desempenho das polícias lá pra frente. Ou seja, muito trabalho não vai dar pra ser visto. O prazo é muito curto pra consertar um estrago que vem sendo feito de longa data, desde o tempo do Beltrame, que também tem culpa nesse cartório”, contou.

Vicente descartou ainda a possibilidade de migração dos criminosos para outros estados. De acordo com ele, é muito difícil que isso aconteça.

“A polícia vai perceber o sotaque desses “bandidos importados”. Eles preferem os locais que conhecem. Inclusive por saber que, quando se vai em locais diferentes, eles vão encontrar inimigos lá. Bandidos que já estão por lá ocupando espaço e não querem concorrentes”, explicou o coronel.