Itamaraty recomenda que viagens “não essenciais” de brasileiros à Venezuela sejam evitadas

  • Por Jovem Pan
  • 18/01/2018 06h50
Tânia Rêgo/Agência BrasilNo sistema utilizado pelo Itamaraty, esse posicionamento é o segundo mais restritivo, ficando atrás apenas da advertência para "não viajar"

O Ministério das Relações Exteriores do Brasil recomendou que fossem evitadas as viagens “não essenciais” à Venezuela. No sistema utilizado pelo Itamaraty, esse posicionamento é o segundo mais restritivo, ficando atrás apenas da advertência para “não viajar”.

Até o início desta semana, a recomendação era que viagens ao país vizinho fossem feitas com “alto grau de alerta”. A atualização ocorreu depois que postos diplomáticos do Brasil na Venezuela indicaram que as condições de segurança pioraram.

A professora Carolina Pedroso, pesquisadora do Instituto de Estudos Econômicos e Internacionais da UNESP, destacou que a medida faz parte de um padrão do Itamaraty: “essa decisão não vai ter impacto tão grande na relação bilateral, tem mais a ver com rotina do Itamaraty de criar lista de países para ajudar seus cidadãos em momento de viagens e evitar problemas futuros com a presença de brasileiros em países onde se s\abe que existem problemas, principalmente em relação à violência”.

Carolina Pedroso apontou ainda que, em questão de periculosidade, a Venezuela está um grau abaixo da Síria, que está em guerra civil há quase sete anos.

O Itamaraty informou que a orientação sobre a Venezuela não tem relação com o assassinato do turista brasileiro Amaury Castro Silva, no último fim de semana, em Ilha de Margarita. Cinco suspeitos, aliás, foram presos pela polícia bolivariana.

Nesta quarta-feira (17), a Fundação Fernando Henrique Cardoso mediou discussão sobre a situação da América Latina em 2018.

Em debate com o jornalista Roberto Lameirinhas, o cientista político Sérgio Fausto analisou a situação da Venezuela com pessimismo: “a região tem que contemplar a hipótese de conviver com Estado falido. O poder da Venezuela está associado ao narcotráfico, isso tem repercussão na fronteira Norte do Brasil”.

O cientista político enfatizou a questão dos refugiados. Diante da crise no país vizinho, muitos venezuelanos têm pedido refúgio ao ultrapassar a fronteira com o Brasil.

Em 2017, mais de 17,8 mil pessoas da Venezuela solicitaram a permanência em território brasileiro. Esse valor representa mais da metade dos pedidos de refúgio no País.

*Informações do repórter Matheus Meirelles