Macron demonstra preocupação com calor extremo na França

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2019 10h40
EFE/Etienne LaurentPaís vive a maior onda de calor desde 2003

Uma onda de calor que passa pela Europa deixa a França em estado de alerta. Nesta segunda-feira (24), os termômetros chegaram a 35 graus em algumas partes do país. Em Paris, a previsão é de que nos próximos dias as temperaturas cheguem aos 40 graus, com sensação térmica de 47.

A prefeitura da capital francesa anunciou medidas para tentar aliviar o calor da população. Fontes temporárias foram instaladas para as pessoas se refrescarem e parques, piscinas e jardins estão ficando abertos até mais tarde. Novos ventiladores foram instalados em escolas e também em hospitais.

Além disso, o governo francês vai oferecer garrafas de água para a população e disponibilizar equipes de saúde para atender grupos de pessoas mais vulneráveis.

O presidente da França, Emmanuel Macron, afirmou que as autoridades devem se manter em vigilância, principalmente com relação aos serviços de emergência e de saúde. Ele reiterou que as pessoas mais vulneráveis como gestantes, idosos, recém nascidos e pessoas doentes, devem ser prontamente atendidas.

Segundo o presidente francês, estão sendo tomadas medidas de prevenção para garantir que as pessoas não sofram com a desidratação.

O calor excessivo na França e parte da Europa decorre de uma massa de ar quente que vem do norte da África e faz com que haja uma queda na umidade do ar.

A última vez que o continente vivenciou um calor tão intenso foi em 2003, quando as altas temperaturas deixaram cerca de 30 mil mortos, sendo 15 mil apenas na França.

*Com informações da repórter Camila Yunes