Maior feira de games da América Latina reúne produtores e ‘influencers’ de jogos eletrônicos

  • Por Jovem Pan
  • 11/10/2018 08h15
Emerson Santos/Estadão ConteúdoO país já tem 375 empresas no segmento de produção de games, de acordo com o Ministério da Cultura

Começou em São Paulo a 11ª edição da Brasil Game Show, a maior feira de games da América Latina. Enquanto o PIB brasileiro patinou nos últimos anos, o mercado de jogos eletrônicos cresceu, se tornando o 13º no ranking global e o principal na região.

O país já tem 66,3 milhões de jogadores regulares, entre homens, mulheres, crianças, adultos e idosos. Esse volume tem atraído cada vez mais desenvolvedores externos.

Leo de Biase, que fundador e sócio da Bad Boy Leeroy, destacou a importância da BGS para o país, e ressaltou os investimentos direcionados aos games. Ele afirmou que o entretenimento consegue se manter afastado das crises.

Tutinha Neto, diretor de conteúdo em entretenimento da TV Jovem Pan, destacou que não há idade para jogar, e apontou que os games uniram gerações. Ele enxerga nos influenciadores digitais uma maneira de expandir o mercado de jogos eletrônicos.

Diretor da Red Fox Brasil, Byong Hwan Kang, reclamou dos impostos e destacou que ainda falta investimentos do Governo Federal para games.

Byong Hwan Kang ponderou que o mercado externo enxerga o Brasil com um grande potencial de crescimento e não ambre mão de investimentos.

O país já tem 375 empresas no segmento de produção de games, de acordo com o Ministério da Cultura. Os jogos eletrônicos devem movimentar US$ 1,5 bilhão só neste ano no Brasil.

*Informações do repórter Matheus Meirelles