Major Vitor Hugo minimiza críticas de Guedes ao relatório da Previdência: ‘Parlamento tem a posição final’

  • Por Jovem Pan
  • 15/06/2019 09h28
Michel Jesus/ Câmara dos DeputadosO Major Vitor Hugo (PSL-GO) é o líder do governo na Câmara dos Deputados

O líder do governo na Câmara dos Deputados, Major Vitor Hugo (PSL-GO), afirmou em entrevista ao Jornal da Manhã, neste sábado (15), que é “natural” que o Congresso tenha mudado alguns pontos da proposta de reforma da Previdência apresentada pelo governo Jair Bolsonaro.

“É natural que o executivo inicie a discussão, mas o parlamento tem a posição final”, disse Vitor Hugo. “O governo vai continuar buscando o máximo de economia em 10 anos, mas esse é o processo normal”, continuou.

Nesta sexta-feira (14), o ministro da Economia, Paulo Guedes, criticou o relatório apresentado pelo deputado Samuel Moreira (PSDB-SP) sobre a reforma. Para Vitor Hugo, as críticas eram esperadas. “A expectativa da equipe econômica é economizar o máximo possível. Toda vez que houver uma redução [na economia], isso vai causar incômodo”, explicou.

Apesar das diferenças, o deputado ressaltou que o governo vai respeitar a decisão do Congresso. “A Câmara dos Deputados e o Senado Federal são soberanos para tomar as decisões mais adequadas”, disse. “O governo está pronto para respeitar a decisão que o Congresso tomar.”

O líder do governo na Câmara ainda destacou que o presidente Jair Bolsonaro tem feito “grandes esforços” para a aprovação da reforma. “A todo momento ele tem feito a sua parte para convencer não só os parlamentares, mas também a população”, afirmou. “Ele tem colocado o capital político à disposição do convencimento da reforma da Previdência”, ressaltou.

Major Vitor Hugo também discutiu o impacto do vazamento de mensagens atribuídas ao ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, sobre a operação Lava Jato. Segundo o deputado, isso não irá afetar a reforma da Previdência. “O ministro Sergio Moro conta com toda a confiança do presidente da República e com a maioria esmagadora da população brasileira”, afirmou. “Diante da magnitude e complexidade da rede de corruptores, essas conversas não maculam em nada o trabalho que foi feito”, cravou o deputado.