Marinho insinua interferência de Doria e Morando em rejeição de contas da sua administração em SBC

  • Por Jovem Pan
  • 24/07/2018 10h41
Johnny Drum/Jovem PanPré-candidato Luiz Marinho (PT) mostra documento de governo da Prefeitura de São Bernardo para negar que Museu do Trabalhador tenha sido um pedido de Lula

O pré-candidato ao governo do Estado de São Paulo pelo PT, Luiz Marinho, afirma que houve irregularidades na rejeição das contas de 2016 da Prefeitura de São Bernardo, último ano de seu governo de oito anos na cidade do ABC.

Marinho diz que recorrerá à Justiça e espera anular a sessão da Câmara Municipal que rejeitou suas contas apenas no último dia 20 de junho de 2018. O plenário rejeitou as contas, embora parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE) e relatório da própria Comissão Mista da Câmara são-bernardense tenham aprovado as finanças da cidade.

O ex-prefeito citou uma visita do pré-candidato do PSDB ao governo, João Doria, ao atual prefeito de São Bernardo, Orlando Morando, também tucano, insinuando suposta interferência na rejeição das contas.

“Dizem os noticiários que o João Doria visitou o seu colega prefeito de São Bernardo, a partir da aprovação da comissão especial. Encaminhava-se para a aprovação também pela Câmara de minhas contas. A partir dessa visita aconteceu algo, que o plenário veio a rejeitar, de forma irregular”, disse Marinho durante sabatina ao Jornal da Manhã da Jovem Pan nesta terça-feira.

Questionado se houve uma conspiração entre os tucanos, Marinho se desviou: “é o que dizem, não sou eu que estou dizendo”. O pré-candidato disse que esse é um “comentário da cidade” e declarou: “às vezes as coisas são vagas e concretas”.

Museu do trabalhador

Sobre o Museu do Trabalhador, projeto de Marinho em São Bernardo cujas obras foram interrompidas após acusações de superfaturamento, o pré-candidato disse que se arrepende de não ter concluído o museu.

Marinho “contestou com veemência” a denúncia do Ministério Público do Estado de irregularidades na obra e afirmou que a captação de recursos do governo federal não aconteceu a tempo.

O ex-prefeito mostrou seu programa de governo para a cidade e disse que o museu “não se trata do mausoléu do Lula”. Mas assumiu que o prédio contemplaria a história sindical de São Bernardo do Campo, que alçou o ex-presidente ao mundo político.

Assista à entrevista completa de Luiz Marinho na Jovem Pan:

Siga a cobertura completa das eleições 2018!