Meninos que ficaram presos em caverna na Tailândia concluem retiro espiritual

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2018 06h33
EFEA cerimônia de encerramento da experiência budista aconteceu em um templo perto da fronteira montanhosa com Mianmar

Os 11 meninos e o técnico do time de futebol Javalis Selvagens, que ficaram presos em uma caverna por duas semanas na Tailândia, concluíram neste final de semana um retiro espiritual.

A cerimônia de encerramento da experiência budista aconteceu em um templo perto da fronteira montanhosa com Mianmar.

Os garotos, que foram ordenados monges, deixaram o retiro com as cabeças raspadas. Depois disto retiraram os mantos laranjas e colocaram camisetas brancas e calças azuis antes de voltar para a companhia dos familiares.

O treinador do time, Ekapol Chantawong, de 25 anos, continuará no local e vai permanecer três meses no monastério.

Na Tailândia, onde a maioria absoluta da população é budista, chegando a marca de 90%, a ordenação como monge é tida como ato de agradecimento. Qualquer adulto pode passar um breve período pelo conhecimento, enquanto jovens têm a oportunidade de servir em um curto espaço de tempo como noviços.

O retiro espiritual começou em 25 de julho, e também tinha o objetivo de ajudar na recuperação emocional das crianças.

Cerca de 300 pessoas estiveram na celebração. Os participantes deram flores, comida, dinheiro, num gesto de devoção religiosa.

O grupo passou os dias em monastérios, meditando, rezando e fazendo trabalhos de limpeza que é uma tradição para homens do país que passam por adversidades. Apenas um dos meninos não participou da atividade porque é cristão.

Vale lembrar que eles ficaram por nove dias em jejum e completamente isolados, até que após intensas buscas, foram encontrados por uma equipe de mergulho britânica e resgatados em três dias em uma operação que mobilizou mais de mil pessoas, entre forças de segurança, mergulhadores profissionais e voluntários. O caso gerou uma comoção mundial.

*Informações do repórter Daniel Lian