Mesmo sem crise hídrica, condomínios paulistanos atuam para evitar desperdícios

  • Por Jovem Pan
  • 06/08/2018 07h15
Pedro França/Agência SenadoMuitos moradores da região metropolitana de São Paulo, porém, já estavam se preparando para possíveis problemas parecidos com os enfrentados em 2014

Apesar das recentes chuvas, a situação dos reservatórios do Sistema Cantareira continua preocupando. A escassez dos últimos meses fez o manancial entrar em estado de alerta e chegar ao mês de agosto com 39% da capacidade.

Muitos moradores da região metropolitana de São Paulo, porém, já estavam se preparando para possíveis problemas parecidos com os enfrentados em 2014.

Desde a última crise hídrica, muitos condomínios se adaptaram à situação e mantiveram até hoje a cultura de preservação da água.

De acordo com Cleonice Boiati, síndica de um condomínio na região do Cambuci, na capital paulista, os moradores são atuantes, e fiscalizam uns aos outros para evitar desperdícios: “a gente já tinha comportamento para não desperdiçar. Já havia a conscientização, mas não muito abrangente junto aos condôminos”.

Cleonice Boiati destacou que as informações ajudaram a conscientizar a população quanto ao uso racional da água, fazendo com que os condôminos se preocupem com o uso consciente, mesmo em períodos sem crise hídrica.

Raquel Tomasini, da Lello Condomínios, destacou que a redução de consumo se manteve nos últimos anos: “as ações de economia e uso racional enraizaram”. Ela apontou ainda que novos costumes envolvendo tempo no banho, lavagem de roupa e limpeza de calçadas foram determinantes para a mudança de postura.

Apesar das chuvas dos últimos dias, é preciso manter o uso consciente da água. De acordo com o Centro de Gerenciamento de Emergências Climáticas, o volume de precipitação para as próximas semanas não é suficiente para normalizar o Sistema Cantareira.

*Informações do repórter Matheus Meirelles