Ministério da Saúde exonera diretora do departamento de HIV

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2019 08h41
Jose Cruz/Agência BrasilA diretora, sanitarista Adele Benzaken, foi avisada da exoneração pelo novo secretário de vigilância, Wanderson Kleber de Oliveira

O Ministério da Saúde decidiu mudar o comando do departamento de HIV/AIDS e hepatites virais, responsável pela política de prevenção e controle de infecções sexualmente transmissíveis.

A diretora, sanitarista Adele Benzaken, foi avisada da exoneração pelo novo secretário de vigilância, Wanderson Kleber de Oliveira.

A medida ocorre uma semana após o novo ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, dizer que o estímulo à prevenção do HIV precisa ser feito “sem ofender as famílias”.

Entidades que representam a luta contra a doença e portadores de HIV enviaram cartas ao novo comandante da pasta pedindo que Adele Benzaken seja mantida no cargo.

O infectologista Jean Gorinchteyn, do Instituto Emílio Ribas, destacou os avanços promovidos pela diretora: “trouxe também um incremento das expansões da profilaxia pós-exposição para aqueles que tinham camisinha estourada, vítimas de violência sexual, assim como trouxe a profilaxia pré-exposição”.

Jean Gorinchteyn ressaltou ainda que Adele Benzaken foi responsável por promover os famosos coquetéis com medicamentos mais seguros e efetivos, impedindo que o HIV evolua para Aids.

O Ministério da Saúde informou que Adele Benzaken será convidada para continuar a contribuir com a política. O atual diretor substituto do departamento, médico epidemiologista Gerson Pereira, será o novo comandante do departamento HIV/ Aids e hepatites virais.

*Informações do repórter Matheus Meirelles