Movimentos pró e contra Lula prometem grandes mobilizações nesta quarta (24)

  • Por Jovem Pan
  • 22/01/2018 07h21
DivulgaçãoA sessão na sede do Tribunal Regional Federal da Quarta Região começa às 08h30 e terá transmissão ao vivo pela internet

Apoiadores de Lula e grupos contrários ao petista prometem grandes mobilizações nesta quarta-feira (24), durante o julgamento em Porto Alegre.

A sessão na sede do Tribunal Regional Federal da Quarta Região começa às 08h30 e terá transmissão ao vivo pela internet.

Os desembargadores vão confirmar ou alterar a sentença do juiz Sérgio Moro, que condenou o ex-presidente a nove anos e seis meses de prisão.

As acusações são de corrupção passiva e lavagem de dinheiro, no caso que envolve o tríplex do Guarujá.

Apesar do julgamento na quarta, as manifestações contra Lula já começam nesta terça (23), com uma série de atos convocados pelo Movimento Vem Pra Rua.

A porta-voz do grupo, Adelaide Oliveira, avaliou que o País vive um momento histórico: “as pessoas de bem desse País torce pela Justiça e vai ser um marco na Justiça brasileira, porque vai ficar confirmado através de fatos que a justiça é para todos”.

Adelaide Oliveira lembrou que a condenação será comemorada em Porto Alegre, com a festa batizada de “CarnaLula”.

A líder do movimento Nas Ruas, Carla Zambelli, teme pelos confrontos com grupos de esquerda e disse que desistiu da ida ao Rio Grande do Sul: “todas as pessoas falaram em ir para Porto Alegre receberam ameaças online. As pessoas que têm um pouco mais de visibilidade preferiram ficar”.

Carla Zambelli, do Nas Ruas, disse que a grande festa será na Avenida Paulista, com a presença de um Pixuleco – o boneco de Lula presidiário – de 13 metros.

O líder do Movimento Brasil Livre, Kim Kataguiri, explicou que o uso da via foi disputado na Justiça com a CUT, mas o MBL levou a melhor: “a gente fez protocolo em dezembro, tivemos reunião com a Polícia Militar com outros movimentos e o que ficou acordado é que direito de manifestação no dia 24 na Avenida Paulista ficou com grupos que são a favor da prisão do Lula”.

Apesar da derrota da CUT, citada por Kim Kataguiri, a Frente Brasil Popular, que reúne grupos de esquerda, afirmou que 50 mil militantes vão a Porto Alegre.

O presidente da Central dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Brasil, Adilson Araújo, garantiu que não haverá violência, mesmo em caso de condenação: “nada justifica algo intempestivo. Violência não é o caminho para construção do País”.

Segundo o presidente da CTB, Adilson Araújo, mais de 200 ônibus seguirão para Porto Alegre, levando apoiadores de Lula.

O ex-presidente deve acompanhar o julgamento em São Paulo e ainda não está definido se ele vai participar de algum ato público.

*Informações do repórter Vitor Brown