MP exige que hospitais das Clínicas e Santa Marcelina retomem atendimentos de urgência

O MP lembra que as duas unidades de saúde recebem recursos públicos

  • Por Jovem Pan
  • 23/05/2019 09h07
Marcos Bezerra/Estadão ConteúdoA Promotoria coloca que a Secretaria Estadual da Saúde também deve ser responsabilizada

O Ministério Público exige que os Hospitais das Clínicas e Santa Marcelina retomem as triagens e atendimentos de urgência em São Paulo.

A promotora Dora Strilicherk entrou com uma ação civil pública, com pedido de liminar ao Judiciário. Ela solicita que o Hospital Santa Marcelina seja impedido de fechar as portas para o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

O pronto-socorro do Hospital das Clínicas não atende a demanda desde 23 de novembro de 2018 apenas às ambulâncias do Samu ou unidades referenciadas.

O Ministério Público lembra que as duas unidades de saúde recebem recursos públicos, são referenciadas na rede SUS, com custeios diferenciados, mas se portam como unidades de saúde privada, em risco a vida de pacientes, um desrespeito aos cidadãos e violação do direito à vida.

O Santa Marcelina, desde abril de 2019, alega superlotação e não atende nem mesmo o SAMU. A Promotoria coloca que a Secretaria Estadual da Saúde também deve ser responsabilizada, já que a inércia do administrador público diante do quadro está “deixando a vida dos pacientes sem proteção no atendimento de urgência”.

*Informações do repórter Marcelo Mattos