MP do Rio de Janeiro recorre contra decisão do STF

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2019 10h36
Reprodução/FacebookO assessor parlamentar de Flávio Bolsonaro, Fabrício Queiroz, estava sendo investigado por supostas ilegalidades descobertas em relatórios do Coaf

O Ministério Público do Estado do Rio de Janeiro entrou com recurso no Supremo Tribunal Federal contra a decisão do ministro Dias Toffoli, que mandou suspender as investigações em andamento que tenham como referência dados do Coaf e da Receita Federal.

O pedido de suspensão partiu da defesa do senador Flávio Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro.

Para o MP do Rio de Janeiro, a decisão do magistrado coloca em risco também outras diversas investigações em andamento no Estado.

Logo após a decisão, na última terça-feira (16), o procurador da República no Rio de Janeiro, Eduardo El Hage, fez críticas e afirmou que considerava ela um “grande retrocesso.”

Em 2018, o MP-RJ começou a investigar movimentações atípicas que aconteceram dentro da Alerj, com base em dados fornecidos em relatórios do Coaf. Entre os investigados estava Fabrício Queiroz, assessor parlamentar de Flávio e amigo da família Bolsonaro. Pela conta dele passaram R$ 1,2 mil atípicos, segundo o órgão.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga