MPF-DF acusa Dilma e Mantega de improbidade administrativa no caso das pedaladas fiscais

  • Por Jovem Pan
  • 07/12/2018 08h48
EFEA peça afirma que os acusados esconderam a real situação fiscal da União se fazendo valer dos altos cargos que ocupavam no Governo federal

A ex-presidente Dilma Rousseff e o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega foram acusados de improbidade administrativa no caso das pedaladas fiscais, que resultou no impeachment da petista.

A ação civil é do Ministério Público Federal do Distrito Federal. A peça afirma que os acusados esconderam a real situação fiscal da União se fazendo valer dos altos cargos que ocupavam no Governo federal. Assim, eles teriam ocultado a crise fiscal e econômica a que passava o país, piorando ainda mais os índices financeiros do Estado.

Também são acusados o ex-presidente do Banco do Brasil Aldemir Bendine, o ex-secretário do Tesouro Arno Augustin, o ex-subsecretário de Políticas Fiscais Marco Pereira Aucélio e o ex-presidente do BNDES Luciano Coutinho.

O Ministério Público pede a perda dos direitos políticos de cada acusado por três a cinco anos, multa de até 100 vezes o valor ocultado e proibição de receber incentivos do Poder Público.

Na sexta-feira passada, Guido Mantega, Bendine, Augustin e Aucélio se tornaram réus em uma ação na vara criminal que também investiga as pedaladas fiscais. A ex-presidente Dilma não foi denunciada pois o crime prescreveu.

*Informações do repórter Levy Guimarães