Reino Unido chama de ‘inaceitável’ apreensão de navios petroleiros pelo Irã

  • Por Jovem Pan
  • 20/07/2019 11h30
EFESecretário disse que Irã sofrerá consequências se não libertar navio

A Guarda Revolucionária do Irã abordou dois navios petroleiros britânicos que estavam próximos ao Estreito de Ormuz. Um deles, o Stena Impero, que utiliza bandeira do Reino Unido, foi capturado quando seguia para a Arábia Saudita. As autoridades iranianas alegaram que a embarcação violou regras internacionais de navegação, mas não especificaram quais.

O serviço de rastreamento marinho observaram uma mudança abrupta de caminho do petroleiro, que começou a seguir para a ilha iraniana de Qeshm antes de ter o sistema de identificação desligado. As informações foram confirmadas pela empresa proprietária, que completou que o Stena Impero foi abordado por pequenas embarcações e um helicóptero.

O segundo navio interceptado pela guarda iraniana tem bandeira da Libéria, mas é administrado pelo Reino Unido.

O secretário de Estado para assuntos Externos, Jeremy Hunt, disse que, se a situação não for resolvida em breve, haverá consequências para o Irã. “Isso é completamente inaceitável. A liberdade de navegação deve ser mantida. Nós responderemos de um jeito robusto e estamos certos de que se a situação não for resolvida de forma rápida, haverá sérias consequências”, afirmou.

O Reino Unido acredita que as abordagens façam parte de uma retaliação do Irã já que, no início do mês, as autoridades britânicas interceptaram um navio iraniano com a alegação que estaria transportando petróleo para a Síria, país alvo de sanções da União Europeia.

As questões envolvendo navios petroleiros surgem em um momento de escalada de tensões entre Irã e outros países, principalmente, os Estados Unidos. O presidente Donald Trump ressaltou o bom relacionamento que mantém com o Reino Unido e disse que vai conversar com as autoridades britânicas sobre o Irã

No ano passado, Washington deixou o acordo nuclear e anunciou sanções econômicas contra o Irã e o petróleo do país. Como resposta, Teerã violou termos do pacto envolvendo estoques de urânio enriquecido.

As ações preocuparam países vizinhos e outros signatários do tratado, que tentam reverter as decisões do Irã.

*Com informações da repórter Nanny Cox