Novo presidente dos Correios se distancia da privatização e diz que veio para ‘fortalecer’ empresa

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2019 11h48
Antônio Cruz/Agência BrasilGeneral Floriano Peixoto deixou a Secretaria-Geral para assumir a presidência dos Correios, substituindo Juarez Cunha

Depois de substituir Juarez Cunha, que perdeu o cargo de presidente dos Correios após descartar a possibilidade de privatização da estatal, o novo comandante da empresa, Floriano Peixoto, assumiu o cargo nesta segunda-feira (24). Durante a posse, ele adotou um discurso bastante conciliador, porém sem se comprometer com a venda de empresa.

Segundo Peixoto, antes de tudo, é preciso fortalecer os Correios. “Não estamos ainda falando de nada de privatização, como eu disse a minha intenção é ir para lá para trabalhar para fortalecer, para fazer empresa crescer e ficar mais gigante ainda do que ela é. Fortalecer financeiramente e com referenciais e eficiência que tornem a empresa de novo um orgulho”, afirmou.

Na cerimônia, o presidente Jair Bolsonaro (PSL) disse que os presidentes anteriores praticamente acabaram com a estatal. “Sabemos da importância e da história dos Correios e nós temos certeza que ele fará o melhor para recuperar, ou ajudar na recuperação dessa instituição tão usada de forma irregular num passado recente”.

Ele chamou o novo presidente da estatal de “curinga” por ter aceitado substituir Gustavo Bebiano na Secretaria Geral da Presidência no início do ano e, quando necessário, ter aceitado, também, ir para o comando dos Correios.

*Com informações da repórter Luciana Verdolin