Paralisação dos caminhoneiros gera prejuízo de R$ 6 mi no setor hoteleiro de SP

  • Por Jovem Pan
  • 31/05/2018 09h44
Rafael Neddermeyer/ Fotos PúblicasMais de 50% dos turistas cancelaram reservas entre segunda e quarta-feira na cidade de São Paulo por conta da greve dos caminhoneiros

A paralisação dos últimos dias gerou um prejuízo de mais de R$ 6 milhões para o setor hoteleiro das cidades de negócios no estado de São Paulo. A Associação Brasileira da Indústria de Hotéis anunciou que mais de 50% dos turistas cancelaram reservas entre segunda e quarta-feira. No interior e no litoral, o fim de semana teve apenas metade dos turistas esperados, o que gerou um prejuízo de quase R$ 2 milhões, só em diárias.

Sem combustível, muita gente que tinha viagem marcada e usaria o carro ou o transporte rodoviário precisou cancelar. De acordo com o presidente da Associação Brasileira da Indústria de Hotéis de São Paulo, Bruno Omori, a pior projeção do feriado é para cidades de turismo e lazer. “Se não conseguir regularizar a distribuição de combustíveis, podemos ter um prejuízo em hospedagens da ordem de R$ 6 milhões e que pode chegar a R$ 250 milhões. Porque vai afetar toda cadeia de turismo”, disse Omori.

O hotel Ca’d’Oro, que recebe majoritariamente empresários e estrangeiros no centro financeiro de São Paulo, notou uma onda de cancelamentos no começo da greve, uma queda de quase 20% no número de reservas.

O gerente operacional Gustavo Guzzoni acredita que, com a retomada da normalidade, o número de hóspedes deve aumentar nos próximos dias. “Já entraram algumas reservas para o final de semana, não tanto quanto a gente esperava, mas já está havendo uma retomada. Para o mês que vem já estamos recebendo bastante reserva”, revelou Guzzoni.

No ano passado, a Parada LGBT em São Paulo teve mais de 3 milhões de pessoas e garantiu uma taxa de ocupação de 90% nos hotéis da região da Avenida Paulista. Neste ano, a previsão, depois da greve dos caminhoneiros, é de que ocorra uma queda no número de hóspedes, principalmente aqueles que viriam com o próprio veículo.

*Com informações da repórter Marcella Lourenzetto