Pedido da PF ao STF pode “pegar” Temer como ex-presidente

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2018 09h58
Antonio Cruz/Agência BrasilPresidente Temer e os ministros Moreira Franco e Eliseu Padilha são acusados de receber R$ 10 mi da Odebrecht

A PF pediu ao ministro Edson Fachin, do STF, a prorrogação por mais 60 dias do inquérito que apura pagamentos da Odebrecht ao MDB. Entre os investigados estão o presidente Michel Temer e os ministro Eliseu Padilha e Moreira Franco.

A história parece ser muito simples. Em 2014, houve um jantar no Palácio do Jaburu, o assunto: dinheiro. De um lado, a empreiteira Odebrecht, do outro, Eliseu Padilha e Moreira Franco.

O pedido de “enxofre” era para repassar R$ 10 milhões para o PMDB. Essa é a história confirmada por todos, a dúvida é se o presidente Michel Temer estava falando do dinheiro ou não. Mas ele sabia do objetivo desse reunião no Jaburu.

Se não fosse assim, ele não teria chamado o representante da Odebrecht. De resto está tudo confirmado. A reunião e o repasse ao PMDB.

Por isso, que a PF tem dúvidas sobre o que fazer com o inquérito e pediu mais 60 dias ao ministro Fachin. Há quem diga que se trata apenas de uma tentativa de ganhar tempo e aguardar que o presidente Temer saia da presidência da República.

Assim, com mais 60 dias para a PF e mais tempo ao relator já se teria chegado a dezembro e janeiro.

Não se trataria de uma investigação muito complexa, mas a estratégia é boa e pode pegar Temer já como um ex-presidente da República nesse inquérito que no futuro será um processo.

*Com informações do repórter José Maria Trindade