Polícia busca por mais envolvidos em laboratório de maconha descoberto no interior de SP

  • Por Jovem Pan
  • 22/10/2018 07h10
Maj. Will Cox / Georgia Army National GuardNo final de setembro, policiais fizeram uma blitz numa residência e prenderam quatro pessoas

A Polícia de São Paulo investiga o possível envolvimento de outras pessoas, no laboratório de maconha, que foi descoberto no condomínio de luxo, Vilareal na cidade de Itu, interior do Estado.

No final de setembro, policiais fizeram uma blitz numa residência e prenderam o empresário e proprietário do imóvel, Alexandre Nabuco Meyer de Barros Loureiro, de 35 anos de idade, o engenheiro agrônomo Gabriel de Sá Reis Nogueira, de 34 anos, o cabeleireiro, Ilidio Rodrigues de Souza, de 59 anos e o também empresário Marcelo Freire Silva, de 34 anos.

Os agentes chegaram ao local onde habitam famílias de alta renda depois de conferirem a movimentação durante alguns dias. Vizinhos, desconfiados denunciaram a quadrilha. Ao entrar na casa de grande extensão acharam no porão dezenas de vasos contendo, em cada um deles, um pé de maconha.

O laboratório químico, dispunha de iluminação artificial, sistema de irrigação e sacos contendo terra orgânica e galhos da planta.

Foram encontradas ainda sementes da substância, dezenas de saquinhos plásticos utilizados para embalar entorpecentes e uma balança de precisão.

Uma quantidade expressiva de maconha manipulada e pronta para uso foi apreendida. O delegado titular da Polícia de Itu, Nicolau Santarém, explicou como foi a ação e que se surpreenderam com a estrutura utilizada para a fabricação da droga.

Os quatro envolvidos estão presos no Centro de Detenção Provisória de Sorocaba. Eles vão responder por tráfico de drogas e associação para o tráfico. A pena pode chegar a oito anos de reclusão.

A polícia ainda investiga para onde a droga era destinada e se há a participação de outros empresários de renome no crime.

*Informações do repórter Daniel Lian