Premiada nos EUA, estudante brasileira batizará asteroide com seu nome

A jovem conquistou a premiação máxima com pesquisa sobre o aproveitamento da casca da macadâmia

  • Por Jovem Pan
  • 25/05/2019 08h55
DivulgaçãoAlém do prêmio de 3 mil dólares, a jovem cientista será uma das vencedoras da competição a ter o privilégio de nomear um asteroide

A estudante gaúcha Juliana Estradioto, de 18 anos, batizará um asteroide com seu nome. A oportunidade é dada para os vencedores que ficam em primeiro e segundo lugar de cada categoria da maior feira de ciências do mundo.

A jovem conquistou a premiação máxima na categoria de Ciências Materiais com uma pesquisa sobre o aproveitamento da casca da macadâmia. O estudo aponta que resíduos da noz podem ser utilizados para fabricação de curativos e até de embalagens que podem substituir o plástico.

Além de contribuir com a sustentabilidade, o material feito da macadâmia é mais econômico.

A pesquisa começou a ser desenvolvida no ano passado, quando Juliana cursava o último ano do ensino médio técnico do Instituto Federal do Rio Grande do Sul. Durante um ano, ela investigou como a casca da noz poderia substituir materiais sintéticos, evitando a produção de lixo.

Além do prêmio de 3 mil dólares, a jovem cientista será uma das vencedoras da competição a ter o privilégio de nomear um asteroide. Desde 2001, mais de quatro mil professores e alunos foram premiados.

*Informações da repórter Larissa Coelho