Presidência da Alesp: Doria explicita apoio ‘claro e direto’ para reeleição de Macris

  • Por Jovem Pan
  • 02/03/2019 08h30
AlespNa Alesp, o atual presidente, Cauê Macris, tem evitado falar sobre a eleição, mas costura um amplo apoio para vencer

Eleição na presidência da Assembleia Legislativa de São Paulo coloca o atual presidente contra Janaína Paschoal. Apenas em 15 de março tomam posse os 94 deputados eleitos, em 2018.

Recordista de votos, com mais de dois milhões, a estreante na política Janaína Paschoal reivindica a presidência pelo PSL: “eu sou candidata, é da história da Casa que a maior bancada faça o presidente. Temos a maior bancada mais a pessoa com maior votação. É intrigante que agora eles queiram mudar a regra. Aí a gente fica na dúvida se era regra ou desculpa para o PSDB ficar sempre no poder”.

O PSL tem 15 deputados, mas a tese da maior bancada não é regimental e depende mesmo da matemática de apoio com os demais partidos. Na Câmara Federal, o PSL do presidente Jair Bolsonaro preferiu apoiar Rodrigo Maia (DEM) ao reconhecer que não tinha votos para vencer.

Na Alesp, o atual presidente, Cauê Macris, tem evitado falar sobre a eleição, mas costura um amplo apoio para vencer e recentemente obteve os anúncios de votos do PSB, PTB e PRB.

O governador João Doria ressaltou que a Casa tem autonomia na sua decisão, mas não escondeu sua preferência: “os que votam são deputados e deputadas estaduais, mas meu apoio é absolutamente claro e direto ao deputado Cauê Macris”.

Janaína Paschoal cobra coerência do PSDB ao receber o apoio do PT, em uma negociação política, para que os petistas mantenham a Secretaria da Mesa Diretora da Casa. Logo após a posse, no dia 15 de março, os 94 deputados votam para definir quem comandará a Alesp pelos próximos dois anos.

*Informações do repórter Marcelo Mattos