Presidente do Comitê Olímpico do Japão é investigado na França por suspeita de corrupção

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2019 08h33
EFETakeda é suspeito de ter subornados membros africanos do COI para que Tóquio conquistasse o direito de sediar os Jogos de 2020

O presidente do Comitê Olímpico do Japão, Tsunekazu Takeda, é investigado na França por suspeita de corrupção.

O executivo, que também é chefe da Comissão de Marketing do Comitê Olímpico Internacional, é suspeito de ter subornados membros africanos do COI para que Tóquio conquistasse o direito de sediar os Jogos de 2020.

Nesta sexta-feira (11), Takeda pediu desculpas pelas “enormes preocupações que foram causadas ao povo do Japão” e garantiu que está cooperando com as investigações.

Ele depôs em um tribunal francês em dezembro. Um dos pontos investigados é o pagamento de 1,8 milhão de euros a uma empresa que teria ligação com o senegalês Papa Massata Diack, filho do então presidente da Associação das Federações Internacionais de Atletismo, Lamine Diack, que apoiou a candidatura japonesa.

O dinheiro teria circulado por meio de uma companhia baseada em Cingapura e sido usado para subornar membros africanos do COI por intermédio do executivo.

Takeda é bisneto do imperador Meiji e preside o Comitê Olímpico do Japão desde 2001. Apesar das investigações, ele é favorito para ser reeleito em junho neste ano para o 11º mandato.

*Informações do repórter Matheus Meirelles