Presidente mexicano pede que Rei Felipe VI reconheça atrocidades cometidas pela Espanha no séc. 16

  • Por Ulisses Neto/Jovem Pan
  • 26/03/2019 09h13
Reprodução/TwitterQuase 500 anos depois da chegada dos conquistadores espanhóis, o governo do México acredita que chegou a hora de ouvir um pedido de desculpas

Quase 500 anos depois da chegada dos conquistadores espanhóis, o governo do México acredita que chegou a hora de ouvir um pedido de desculpas formal.

O presidente Andrés Manuel López Obrador enviou uma carta para o rei Felipe VI em Madri pedindo que o monarca reconheça as atrocidades cometidas por seu país desde o desembarque de Hernán Cortés ao continente americano no século 16. López Obrador também quer que a Igreja Católica reconheça seu papel no que hoje é compreendido como crimes contra os direitos humanos que resultaram na aniquilação dos povos nativos.

Afinal, lembra o presidente mexicano, a conquista do país se deu por meio da cruz e da espada.

O jornal espanhol El País informa que a manifestação do governo do México não caiu bem em Madri e por enquanto não há sinais de que o país irá pedir desculpas pela conquista de 500 anos atrás.

Os mexicanos insistem que só assim poderá ocorrer uma reconciliação completa entre os dois países deixando para trás a história sangrenta de dominação.

López Obrador deixa claro que não vai pedir compensação financeira pelos séculos de exploração espanhola. Mas que o mínimo para dar o contexto histórico que ele considera correto é ouvir um pedido de desculpas público da Espanha.

É um debate importante levantado pelo governo do México que muitos podem dizer que talvez careça de sentido discutir algo que ocorreu no século 16. Mas o fato é que mesmo 500 anos depois os europeus ainda têm dificuldades de reconhecer plenamente os efeitos negativos das ações de seus conquistadores.

Sorte de Portugal que o Brasil não tem muito interesse em debater seriamente a sua história – haja visto que agora até o dia do golpe militar de 1964 virou motivo de comemoração.