Projeto de fusão de estatais de SP é criticado no parlamento

  • Por Jovem Pan
  • 23/03/2019 09h15
BRUNO ROCHA/FOTOARENA/ESTADÃO CONTEÚDOProjeto de Doria deve enfrentar resistência na Alesp, mesmo com tucano presidente

O projeto de lei que autoriza o governo de São Paulo a realizar fusões nas empresas estatais é criticado por parlamentares da Assembleia Legislativa.

Segundo deputados, a proposta é pouco detalhada e não apresenta exatamente o que o governo pretende fazer.

São citadas no texto seis  estatais:

  • Dersa (Desenvolvimento Rodoviário);
  • CPOS (Companhia Paulista de Obras e Serviços);
  • Emplasa (Empresa Paulista de Planejamento Metropolitano);
  • Codasp (Companhia de Desenvolvimento Agrícola de São Paulo);
  • Imesp (Imprensa Oficial do Estado);
  • Prodesp (Companhia de Processamento de Dados do Estado).

A princípio, o governo de São Paulo pretende unificar as empresas sob o chapéu da Prodesp.

A deputada Janaína Paschoal (PSL), chegou a afirmar que o projeto fala em possibilidade de fusão, cisão, incorporação ou até mesmo extinção das empresas, mas não apresenta a real situação das companhias

O texto do projeto ainda prevê o acréscimo dessas empresas no programa de desestatização do estado. Para o deputado Carlos Gianazi (PSOL), experiências passadas mostram que medida não é garantia de lucro no futuro.

Apesar do projeto criar a expectativa de privatização das empresas, o líder do governo na Casa, deputado Carlão Pignatari, garantiu que essa possibilidade já está descartada pela gestão Doria.

*Com informações da repórter Victoria Abel