PSD quer candidaturas próprias em 2020 e não descarta lançar nomes para 2022

Para Kassab, a coligação no primeiro turno não tem mais sentido

  • Por Jovem Pan
  • 21/05/2019 07h08
Valter Campanato/Agência BrasilO ex-ministro afirmou que pensar nas eleições de 2022 é prematuro, mas defendeu que ter um candidato é importante para o partido que busca destaque

Na tentativa de fortalecer e dar protagonismo ao PSD, o presidente do partido e ex-ministro, Gilberto Kassab, não descartou a possibilidade da sigla ter candidatos próprios a governador e presidente na disputa eleitoral de 2022.

Nesta segunda-feira (20), circulou a resolução do partido que determinou aos diretórios municipais candidaturas próprias a prefeito nas eleições do ano que vem.

Pela primeira vez, o PSD obriga todas as capitais e municípios com mais de 100 mil habitantes a lançar seus próprios nomes na disputa majoritária.

O ex-ministro afirmou que pensar nas eleições de 2022 é prematuro, mas defendeu que ter um candidato é importante para o partido que busca destaque.

Para Kassab, a coligação no primeiro turno não tem mais sentido, já que cada partido tem suas próprias mensagens e propostas. Segundo o ex-ministro, a decisão de ter candidatos próprios em 2020 procura alinhar as ações do partido com a nova legislação eleitoral, que impede coligação entre partidos para eleições proporcionais.

Kassab ainda afirmou que ter uma candidatura própria a prefeito estimula uma votação mais expressiva na eleição de vereadores.

Na última semana, o PSD lançou a pré-candidatura de Andrea Matarazzo para prefeitura de São Paulo. Questionado se enfrentar candidatos do PSDB, aliados de João Doria, não prejudicaria a relação com o governador, Kassab rebateu. Ainda sobre encarar os tucanos na corrida majoritária, o presidente do PSD ressaltou que o partido não vai disputar as eleições olhando para outros partidos.

*Informações da repórter Victoria Abel