Representantes das campanhas de Lula, Álvaro Dias e Ciro Gomes falam dos planos para a economia

  • Por Jovem Pan
  • 16/08/2018 07h08
PixabayOs especialistas foram reunidos nesta quarta-feira para um debate realizado em São Paulo no teatro da faculdade Fecap

PT e Podemos apostam em mudanças na constituição para viabilizar plano econômico, enquanto o PDT quer igualar o Brasil a Portugal em quinze anos. Estas foram algumas das conclusões apresentadas pelos responsáveis pela área econômica de três candidaturas à presidência da República em evento em São Paulo.

O representante do Partido dos Trabalhadores disse que vai implementar um programa econômico de emergência no dia 1º de janeiro retomando obras paradas, reduzindo impostos e diminuindo o spread.

O economista Márcio Pochmann afirmou que, para mudanças mais profundas, é preciso reunir uma Assembleia Nacional Constituinte.

A porta-voz da candidatura de Álvaro Dias ressaltou que o Brasil poderá crescer 5% ao ano com medidas de redução do déficit público e melhor uso dos gastos do governo. A coordenadora do plano de governo do Podemos, Ana Paula Oliveira, entendeu que isso só será possível caso seja realizada uma revisão constitucional por meio de plebiscito.

O representante do PDT afirmou que a meta é fazer com que o Brasil tenha os mesmos indicadores de desenvolvimento humano de Portugal em quinze anos.

O economista Nelson Marconi disse que o primeiro passo para chegar lá é reduzir o déficit público, os juros e investir em infraestrutura.

Os especialistas foram reunidos nesta quarta-feira para um debate realizado em São Paulo no teatro da faculdade Fecap. De acordo com a organização do evento, representantes das candidaturas de Jair Bolsonaro, Marina Silva e Geraldo Alckmin foram convidados, mas não compareceram.

*Informações do repórter Tiago Muniz