Senador Alessandro Vieira protocolará pedido de impeachment de ministros do STF nesta quarta (17)

“São os mais altos magistrados do Brasil usando sua posição para impor censura e evitar críticas”, justificou

  • Por Jovem Pan
  • 17/04/2019 07h29
Divulgação/Senado"Hoje, em postura autoritária, alguns ministros do Supremo se colocam acima da lei e isso precisa mudar”, disse

O Congresso Nacional volta a discutir a polêmica envolvendo o Judiciário. Inclusive, nesta quarta-feira (17), o senador Alessandro Vieira (PPS-SE) protocolará pedidos de impeachment contra ministros do Supremo Tribunal Federal.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã, o senador disse que os pedidos serão apresentados ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, e que a “motivação é evidente”. Entre os motivos, ele citou a instalação de inquérito que apurará críticas aos ministros, a censura à imprensa, os mandados de busca e apreensão e bloqueio até mesmo de redes sociais de civis.

“São os mais altos magistrados do Brasil usando sua posição para impor censura e evitar críticas (…) Hoje, em postura autoritária, alguns ministros do Supremo se colocam acima da lei e isso precisa mudar”, disse.

Alessandro Vieira discordou ainda da visão do presidente do Senado de que os pedidos de impeachment poderiam resultar em crise entre os Poderes. “Todas as ações estão previstas na Constituição. Para isso, a ação que consta garante que é o Senado [que vota o pedido]. O entendimento de Davi Alcolumbre é totalmente equivocado”.

Responsável pelo requerimento de criação da CPI da Lava Toga, o senador do PPS disse que cada vez mais se comprova a necessidade da comissão. “A crise é motivada pelos ministros e sua atuação descompromissada é problema sério que apontamos no requerimento de CPI. A questão será apreciada pelo plenário, e é importante que senadores entendam a sua missão constitucional”.

Questionado se seria candidato à presidência ou relatoria da comissão, o senador disse que sua preocupação é “colocar de pé a CPI”.

Confira a entrevista completa com o senador Alessandro Vieira: