Temer é o segundo ex-presidente brasileiro preso; outros já foram denunciados

  • Por Jovem Pan
  • 22/03/2019 06h46
Lula Marques/Agência PTA prisão de Michel Temer é preventiva, ou seja, é uma medida de natureza cautelar decretada pela Justiça

Para a vergonha de nós brasileiros, o ex-presidente Michel Temer é o segundo ex-presidente do Brasil a ir para a cadeia. O primeiro foi l, preso no dia 7 de abril de 2018, quase um ano atrás, por corrupção e lavagem de dinheiro.

Antes de Temer e Lula, outros ex-presidentes foram presos, mas por motivos políticos. Como, por exemplo, o gaúcho Hermes da Fonseca, que presidiu o país entre 1910 e 1914, que foi preso oito anos depois, em julho de 1922, após se voltar contra uma intervenção federal em Pernambuco, implementada pelo presidente Epitácio Pessoa. Ele foi libertado em janeiro de 1923.

Outro fato é que desde a redemocratização, somente Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso não foram alvos de inquéritos ou de denúncias.

O ex-presidente José Sarney foi denunciado duas vezes pela Procuradoria_Geral da República na Operação Lava Jato, acusado de receber propina de contratos superfaturados da Petrobras e de subsidiárias da estatal, como a Transpetro. Ele nega as acusações.

Alvos de impeachment, Fernando Collor e Dilma Rousseff também foram denunciados pela PGR.

Collor, inclusive, teve denúncia aceita sob a acusação de receber propina de mais de R$ 30 milhões de contratos superfaturados na BR Distribuidora. O ex-presidente e atual senador nega.

A prisão de Michel Temer é preventiva, ou seja, é uma medida de natureza cautelar decretada pela Justiça, no caso, pelo juiz federal Marcelo Bretas. Ela é diferente da prisão de Lula porque, no caso do ex-presidente petista, a prisão é uma sanção penal que foi definida na sentença condenatória.

*Informações do repórter Victor Moraes