Temer responde a perguntas de Cunha e diz desconhecer irregularidades no FGTS

  • Por Jovem Pan
  • 19/07/2017 07h13
Brasília - O vice-presidente Michel Temer recebe do presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha, a Medalha do Mérito Legislativo 2015 (Antonio Cruz/Agência Brasil)Michel Temer e Eduardo Cunha

O presidente Michel Temer encaminhou nesta terça-feira (18) à Justiça Federal de Brasília respostas aos questionamentos dos ex-deputados Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves, os dois presos por conta da operação Lava Jato.

À Eduardo Cunha o presidente Michel Temer negou ter conhecimento de irregularidades durante a liberação de recursos para as obras do Porto Maravilha, no Rio de Janeiro. O presidente disse também que não tem conhecimento de vantagens indevidas na liberação de financiamentos do FI-FGTS.

Temer ainda confirmou que conhecia o ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, que o empresário teria colaborado com a campanha de vários candidatos do PMDB.

Às perguntas do ex-ministro Henrique Eduardo Alves, que é acusado de desvios de recursos da Caixa Econômica Federal, o presidente afirmou que cabe à Presidência da República nomear dirigentes do banco e que não faria sentido que o então deputado tivesse como interferir em nomeações ou exonerações na Caixa.

Nesta terça, a Justiça Federal de Brasília decidiu manter presos tanto Eduardo Cunha, quanto Henrique Eduardo Alves.

O entendimento dos desembargadores é que há risco de novos crimes serem cometidos, especialmente lavagem de dinheiro na movimentação de contas no exterior.

No caso do ex-ministro Geddel Vieira Lima, acusado de pressionar a mulher do doleiro Lúcio Funaro, para que ele não fizesse acordo de delação premiada, o Tribunal Regional Federal decidiu manter a prisão domiciliar que já havia sido autorizada na semana passada pelo desembargador Ney Bello.

*Informações da repórter Luciana Verdolin