Tradicional caminhada na Bahia dá largada para disputa pelo governo do Estado

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2018 07h22
Romildo de Jesus/Estadão ConteúdoNesta quinta-feira (11), o governador do Estado, Rui Costa, do PT, e o prefeito de Salvador, ACM Neto, do DEM, dividiram as atenções durante a tradicional e maior festa religiosa da Bahia, a Lavagem do Bonfim

Estamos em janeiro, há alguns meses do início de fato da disputa eleitoral, mas assim como no âmbito nacional, a corrida pelo Governo da Bahia já começou.

Nesta quinta-feira (11), o governador do Estado, Rui Costa, do PT, e o prefeito de Salvador, ACM Neto, do DEM, dividiram as atenções durante a tradicional e maior festa religiosa da Bahia, a Lavagem do Bonfim, que foi acompanhada por milhares de católicos, seguidores dos orixás e turistas.

Durante a celebração do Nosso Senhor do Bonfim, os políticos ficaram lado a lado e protagonizaram um cordial aperto de mãos. Eles reuniram apoiadores e caminharam por 8 horas entre a basílica de Nossa Senhora da Conceição da Praia e a Colina Sagrada, em Salvador. Os dois desconversaram sobre a disputa direta, mas tomaram o cortejo como termômetro de popularidade, com abraços e fotos com eleitores.

Rui Costa, que tenta a reeleição para garantir o quarto mandato consecutivo para o PT na Bahia e reduzir o encolhimento da sigla na região Nordeste do país, rejeitou o uso político da festa, atrelando esse peso para a celebração de independência da Bahia: “eu acho que não é momento. Dois de julho tem muito mais a ver com política que o Senhor do Bonfim, que é momento de fé”.

Já o prefeito de Salvador, ACM Neto, não disfarçou o enfoque político na participação na Lavagem do Bonfim, sendo até erguido pelos aliados sob gritos de “Neto Chegou”.

Ele, aliás, comentou sobre a disputa pelo governo da Bahia e a possibilidade de assumir a presidência nacional do DEM, mas tentou separar as situações: “uma coisa não tem exatamente a ver coma outra. Posso assumir a presidência do partido sendo ou não governador”.

O cortejo seguido da lavagem das escadarias do santuário do Senhor do Bonfim, culto que existe desde 1754, ainda foi palco de um protesto em apoio ao ex-presidente Lula, com a participação da senadora e presidente do PT, Gleisi Hoffmann, que em postagem no Facebook fez um apelo à fraternidade e à justiça social, e anunciou um novo ato neste sábado.

No domingo, o arcebispo primaz do Brasil, Dom Murilo Krieger, vai presidir a missa solene em homenagem ao Nosso Senhor do Bonfim.

*Informações do repórter Matheus Meirelles