Tropas americanas começam a deixar a Síria

  • Por Jovem Pan
  • 12/01/2019 08h54
EFEO presidente norte-americano já tinha anunciado em dezembro do ano passado a retirada dos cerca de dois mil militares na região

As tropas americanas começaram a deixar o nordeste da Síria nesta sexta-feira (11). De acordo com Donald Trump, o país venceu a guerra com o Estado Islâmico e por isso não precisa mais ficar por lá.

O presidente norte-americano já tinha anunciado em dezembro do ano passado a retirada dos cerca de dois mil militares na região, medida que surpreendeu aliados de Washington e até autoridades do Pentágono.

Inclusive o secretário de Defesa, Jim Mattis, pediu demissão por não concordar com Trump sobre essa questão.

A medida, que de certa forma desestabiliza alguns aliados americanos, é vista como uma prova das contradições da estratégia de administração do governo Trump para o Oriente Médio, ou até mesmo da falta de estratégia. Além disso, pode permitir que o Estado Islâmico se restabeleça na Síria.

Os críticos da retirada dos militares alegam que isso significa o abandono americano aos seus aliados curdos, que lutam contra o Estado Islâmico e contra o exército turco.

O governo sírio e seus aliados russos e iranianos querem o nordeste da Síria de volta por várias razões, entre elas o petróleo e a reabertura da fronteira com o Iraque.

Na quinta-feira (10), o chefe da diplomacia americana, Mike Pompeo, defendeu a decisão de Trump e negou qualquer contradição na estratégia do presidente americano para a região. Ele também prometeu que seus aliados curdos, que controlam uma faixa do nordeste da Síria, serão protegidos.

*Informações do repórter Victor Moraes