Trump recebe astronautas da missão Apollo 11 e diz que quer retornar à Lua em breve

  • Por Jovem Pan
  • 20/07/2019 11h04
EFE

Na semana em que o mundo celebra os 50 anos da missão Apollo 11, o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, recebeu os astronautas Buzz Aldrin e Michael Collins na Casa Branca. Aldrin foi o segundo o homem a pisar na Lua, logo depois do astronauta Neil Armstrong, que morreu em 2012. Collins também viajou à LUA, mas não saiu da nave; ele ficou em órbita no módulo de comando da Apollo 11, enquanto os dois outros astronautas exploravam a superfície do satélite.

Durante o encontro, Aldrin disse a Trump que se sentiu decepcionado nos últimos dez ou 15 anos com o fim da missão Apollo, revelando o desejo de voltar para a Lua — e em breve. Ele chegou a brincar dizendo que a Nasa está de volta, e que agora a conta com a ajuda de caras ricos dispostos a mandar foguetes para o espaço, em uma clara referência a bilionários como Jeff Bezos e Elon Musk, que investem em uma espécie de corrida espacial entre empresas privadas.

O jornalista de ciências Salvador Nogueira explica como deve funcionar o projeto Artemis, que é o nome da próxima missão tripulada da Nasa à Lua. “O plano é pousar e levar a primeira mulher à lua em 2024. Sendo bem honesto, é um prazo exíguo para fazer isso, é bem possível que atrase. E tem até uma questão eleitoreira na escolha da data, 2024 porque seria o último ano de um potencial segundo mandato do Trump. Mas é muito provável que a data escorregue. Ainda assim, já temos naves sendo construídas para isso, então é se não for em 2024, pode ser em 2025, 2026, mas vai acontecer ao longo da próxima década”.

Ele também contou que o interesse em explorar a Lua existe principalmente por causa da possibilidade de extrair recursos do satélite. “Existe um interesse renovado na Lua hoje por causa da potencial descoberta de depósitos de gelo em crateras do Polo Sul lunar. Tem crateras ali aonde o Sol nunca bate e você tem acúmulo de gelo. Água é, basicamente, o recurso natural mais valioso no espaço, porque você pode usar para beber, você pode separar em hidrogênio e oxigênio, respirar o oxigênio, ou usá-los como combustível de foguetes. Então assim, se a gente tem uma aspiração, de ir a Marte, de explorar o resto do Sistema Solar, tudo isso vai começar na Lua“, explicou.

Trum, também disse que as missões espaciais também são uma questão de defesa, e que com certeza serão viagens bem interessantes.

*Com informações da repórter Mariana Janjácomo