Vacinação contra gripe abre nova fase da campanha e mira outros grupos prioritários

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2018 06h31
Elza Fiúza/Agência BrasilPara receber a dose, é preciso levar documento de identificação e, se possível, a carteira de vacinação e cartão SUS

A partir desta segunda-feira (25), a Secretaria Municipal da Saúde de São Paulo, ampliará a vacinação contra gripe para dois novos grupos.

De acordo com José Elisomar Silva, enfermeiro do programa municipal de imunizações, há preocupação pela baixa adesão à campanha o que leva a mais essa extensão: “existem vários casos. Até o dia 18 tivemos 34 casos de óbito por gripe na cidade de São Paulo. No ano passado inteiro foram 38 casos”.

A criação dos novos grupos foi definida pelo Ministério da Saúde pelo fato de que as crianças apresentam melhor resposta a vacinação, além de serem um dos principais transmissores do vírus Influenza.

Já o grupo de adultos com 50 a 59 anos de idade, segundo José Elisomar, apresenta maior carga da doença, elevado percentual de risco e maior vulnerabilidade para óbito. “Essas pessoas não estão aderindo da forma que a gente esperava. Nos preocupa e a gente convida que essa população venha às unidades de saúde”.

O enfermeiro disse ainda que a meta é atingir 90% da população e a adesão segue baixa também entre gestantes e crianças com idade entre seis meses e cinco anos.

A vacina protege contra três subtipos do vírus da gripe (H1N1, H3N2 e Influenza B). O enfermeiro José Elisomar garantiu a segurança da imunização, método mais eficaz para se manter longe da doença.

Para receber a dose, é preciso levar documento de identificação e, se possível, a carteira de vacinação e cartão SUS. Profissionais de saúde e educação precisam apresentar holerite ou crachá de identificação. Portadores de doenças crônicas devem levar a receita da medicação que faz uso com data dos últimos seis meses.

*Informações do repórter Fernando Martins