Witzel ameaça ‘mudar de lado’ se governo federal não ajudar o Rio

  • Por Jovem Pan
  • 29/06/2019 13h15
Jose Lucena/Estadão ConteúdoWlson Witzel fez declaração nesta sexta-feira (28)

Se o governo federal não ceder nos termos do plano de recuperação fiscal do Rio de Janeiro, vou para a oposição, afirmou o governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel nesta sexta-feira (28).

Witzel fez o anúncio depois de ir para Brasília durante a semana para conversar com o ministro da Economia Paulo Guedes. Em pauta, a antecipação da renovação do acordo de recuperação fiscal do estado, firmado ainda no governo Pezão, em 2017. O acordo é válido até setembro de 2020.

Diante dos problemas financeiros do estado, Witzel quer antecipar a renovação com base em novos termos. Ele também afirmou que o Rio de Janeiro não tem condições de voltar a pagar a dívida que tem com a União.

A estimativa é que até 2023 o passivo a pagar com a União se aproxime dos R$ 30 bilhões. Se referindo à reforma da Previdência, o governador do estado disse que vem ajudando o governo federal e, por isso, quer ser ajudado.

Witzel afirmou que tem orientado a bancada dos deputados federais a dar apoio incondicional à aprovação da nova Previdência. Mas se a ajuda solicitada não acontecer, Witzel garante que passará à oposição do governo Bolsonaro e vai judicializar os compromissos firmados no passado entre o estado e a União.

“Eu sou apoio do governo, mas pra ser apoio tem que ser apoiado. A recuperação fiscal é algo que apresentamos de forma estruturada e é uma proposta razoável. Vamos sentar pra discutir. Pra ajudar, a gente tem que ser ajudado. É isso que eu espero”, disse o governador do Rio.

Em balanço dos 180 dias de governo, Witzel acredita que o governo está melhor ou menos pior do que o ano passado e informou a intenção de investir R$ 800 milhões na construção de 10 novos presídios, aumentando o número de vagas prisionais para cerca de 50 mil em todo o estado.

*Com informações do repórter Rodrigo Viga