Pela 1ª vez, juiz Sérgio Moro abre mão de julgar processo da Lava Jato

  • Por Jovem Pan
  • 12/06/2018 15h05
Lula Marques/AGPTNo despacho, Moro alegou que está sobrecarregado e que a ação penal não tem qualquer ligação com a Petrobras ou a Odebrecht

Pela primeira vez, o juiz federal Sérgio Moro abriu mão de julgar um processo da Lava Jato. Responsável pelos processos na primeira instância, o magistrado declarou a não competência para julgar a ação penal oriunda da 48ª fase da operação.

Batizada de Integração, a etapa apura se uma concessionária de pedágio do Paraná pagou propina a agentes públicos.

No despacho, Moro alegou que está sobrecarregado e, apesar das conexões, a ação penal não tem qualquer ligação com a Petrobras ou com o Setor de Operações Estruturadas do Grupo Odebrecht.

Agora, o processo deve passar para outra vara criminal de Curitiba, ainda não definida. A mudança, porém, de acordo com o juiz, não anula as decisões já tomadas.

O Ministério Público Federal não quis se manifestar a respeito.

Vaticano nega presente a Lula

Ainda sobre a Operação Lava Jato, o Vaticano afirmou nesta terça-feira (12) que o terço que teria sido entregue ao ex-presidente Lula, na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, na segunda-feira, não foi enviado pelo Papa Francisco.

O simbolo religioso foi levado por Juan Gabois, assessor de questões de Justiça e Paz do Vaticano e coordenador de encontros do Papa com movimentos sociais. Segundo ele, o presente era em nome do Papa.

Entretando, por meio de redes sociais, o Vaticano afirmou que a visita de Gabois era pessoal e não em nome do Papa. Ainda conforme a publicação, o terço, “como tantos outros”, é abençoado e distribuído em inúmeras ocasiões.

Lembrando que o ex-presidente, está preso desde o dia 7 de abril. Ele foi condenado em primeira e segunda instância no processo da Operação Lava Jato relacionado ao triplex do Guarujá, no litoral de São Paulo.

*Com informações da repórter Natacha Mazzaro