Guilherme Fiuza critica Lula em novo livro: "maior fake de todos”

  • Por Jovem Pan
  • 04/09/2018 11h59 - Atualizado em 20/11/2018 02h32
Johnny Drum/Jovem Pan

O jornalista Guilherme Fiuza foi o convidado do Morning Show desta terça-feira (4) e divulgou o seu novo livro, batizado de “Manual do Covarde – do Palácio à cadeia Sem Tirar a Máscara”, passando pelo período do impeachment de Dilma Rousseff até a prisão do ex-presidente Lula, em abril deste ano.

Com opiniões recheadas de ironias e sarcasmo, Fiuza apontou que o ex-presidente do brasil é o maior fake de todos os tempos, um guardião de valores hipócritas.

“O Lula é o protagonista da história porque na minha opinião, tudo que ele poderia representar e que perdeu pensando pequeno seria a essência disso, de fato usar a política para dar poder e oportunidade a quem não tem. Só que ele virou uma espécie de lastro, guardião dos valores hipócritas. É o maior fake de todos, esfolou o povo e arrebentou o país”, criticou.

Em sua obra, Fiuza faz uma crítica aberta ao momento pelo qual o Brasil passa, recheada de polarização política e uma guerra travada entre esquerda e direita. Com política sendo assunto a cada esquina, será que o “gigante despertou”? Para ele, isso tudo é falso.

“Tem figuras das políticas facilmente identificáveis. O covarde é um falso despertar político. Estamos na fase em que nunca se falou tanto sobre política. Eu digo que é um falso despertar político, um despertar fake. Muito interessante você ter uma causa e com a febre das redes sociais, você solta uma frase que afete grandeza de espírito, vai virar um herói de Facebook”, explicou.

“Covardes são pessoas que fingem ter uma causa e correm para as que são mercadologicamente aceitas. Essa dicotomia de direita e esquerda esconde pessoas ávidas por uma boa estampa”, concluiu.