"Já teve família que me expulsou", diz a modelo Maria Eugênia, do programa "Adotada"

  • Por Jovem Pan
  • 21/11/2014 11h12
Ítalo Fassin/Jovem Pan<p>Maria Eugênia Suconic</p>

Estreou em setembro na MTV o reality show Adotada, com apresentação da modelo Maria Eugênia Suconic. Em 13 episódios, o programa transforma a vida de Maria Eugênia levando-a para viver a rotina de famílias desconhecidas.

A modelo é ex-namorada do cantor Supla, o que, segundo ela, não é tão positivo assim para sua imagem e atrai uma atenção indesejada. “Ser ex do Supla parece coisa de piriguete”, brincou Maria Eugênia.

Lidar com personalidades e famílias diferentes não é fácil, ainda mais quando você é obrigado a conviver com essas pessoas pelo período de uma semana. “Viver com certas famílias, por exemplo, é como se fossem férias, é maravilhoso. Mas tinha uma família onde eu não aguentei ficar. Família meio rock. O cara era meio quadradão, tudo preto e eu inventei de fazer uma festa colorida. Ele não gostou, achou horrível e disse que, se eu não gostasse da casa preta, eu poderia pegar um táxi e ir embora. Aí eu peguei o taxi e fui embora. Foi a única família em que eu saí.”

Mas as famílias também são obrigadas a lidar com a personalidade de Maria Eugênia, que nem sempre é bem recepcionada. “O pior foi uma mãe esportista que me expulsou da casa. Ela falou: ‘você é uma palhaça, você se veste como uma palhaça’. Acho que meu batom a incomodou mais. ‘Batom vermelho é cafona, rosa não pode'”, contou. 

O lado bom da convivência interfamiliar são as experiências e os laços duradouros que se criam com o convívio no reality show. A modelo contou que já foi viajar novamente com algumas famílias depois do fim das gravações.