"Não tinha como não estar no YouTube", afirma a ex-VJ da MTV Didi Wagner sobre novo canal

  • Por Jovem Pan
  • 05/04/2018 11h41
Johnny Drum/Jovem PanEx-VJ da MTV comanda programa no Multishow e canal na internet

Didi Wagner é uma antiga conhecida das telinhas. Ela atuou como VJ da MTV em sua época áurea no Brasil de 2000 a 2006 e deixou a emissora para apresentar o sucesso de audiência Lugar Incomum, programa de viagens há incríveis 12 anos no ar. Mas, levando a sério a máxima sobre sair da zona de conforto, ela resolveu estrear em uma área bastante diferente no mês passado e criou seu próprio canal no YouTube, intitulado Didi Wagner no Didivã. E para ela, por conta da relevância que a plataforma tem ganhado entre o público jovem, entrar ali não foi apenas uma opção, mas praticamente uma obrigação.

“Eu fui analisando o cenário e cheguei à conclusão de que hoje não tinha como não estar no YouTube. É um caminho sem volta. Foi um processo para chegarmos aqui. Ficamos um tempo no brainstorm. Falo ‘ficamos’ porque tem uma equipe que colabora comigo. Não sou o tipo de pessoa que faz tudo sozinha. Sou menos competente (risos). Imagina montar tudo sozinha? Não. Pedi ajuda de quem entende”, contou em entrevista ao Morning Show nesta quinta-feira (5).

Durante sua participação, a convidada contou que a experiência adquirida na TV tem sido muito utilizada na web. Em primeiro lugar, por conta da bagagem que acumulou, especialmente na MTV. Em segundo, pela habilidade de lidar com as câmeras e com as transmissões ao vivo. “No YouTube não é ao vivo, claro, existe uma edição. Mas vamos muito no freestyle”.

Aproveitando o momento, o líder da bancada do Morning, Edgard Piccoli, VJ na emissora na mesma época que a colega, emocionou-se ao falar sobre a relação de amizade que eles construíram no período e conseguiram levar até os dias de hoje. “O que levo de mais apreço da MTV são as amizades que fizemos lá. A gente formou elos muito fortes”, disse Didi. “Em todo lugar fazemos amigos, mas lá tinha uma amizade geral da trupe muito bacana”, ressaltou ele.

Obviamente o Lugar Incomum também entrou na conversa. A nova temporada estreia no dia 16 de abril e terá como cenário a excêntrica República Tcheca. “O país ficou fechado por muito tempo. Ele se livrou do regime comunista há um tempo, mas continua sendo exótico. Antes de escolher ir a Praga, as pessoas vão para Londres, Paris, Nova York, sei lá. Lugares que têm vôos diretos de São Paulo ou Rio de Janeiro. Praga não é tão conhecida nem tão acessível. Mas é um país interessantíssimo. Pequeno em área, mas com muita história. Tem muita cidade medieval, castelos atá dizer chega! Lá teve monarquia, comunismo, capitalismo. De tudo. Então desenvolveu uma cultura muito peculiar. A língua também é muito curiosa. Fizemos oito episódios inéditos. Cada um tem umas 5 ou 6 pautas. Para lembrar das mais inusitadas agora, minha memória não colabora. O que me vem à cabeça é o ‘SPA da cerveja’. Entrei em uma tina de cerveja”, revelou.

Por fim, questionada sobre a imagem que o Brasil possui atualmente lá fora, disse que continua sendo muito positiva. “No caso da República Theca mesmo, quando eu falava que era brasileira a receptividade era grande. O Brasil tem essa coisa de ser um país latino que todo mundo associa à alegria. Mas as confusões políticas dão uma imagem de país instável também. Uma ou outra pessoa pergunta disso e eu saio fugida do assunto (risos)”, brincou.