Para não esquecer infância, jovem dá volta ao mundo entrevistando crianças e escreve livro

  • Por Jovem Pan
  • 11/12/2014 11h01
Amanda Garcia/Jovem Pan<p>Felipe Gaúcho falou sobre o seu projeto durante visita ao Morning Show</p>

Quando ainda era adolescente, Felipe Pereira combinou com um amigo que os dois iriam fazer uma viagem de volta ao mundo quando crescessem. Para juntar dinheiro, os dois participavam de todas as promoções e concursos culturais que encontraram, durante dois anos. Felipe ganhou 20 deles, entre uma televisão que na época valia R$14 mil e um ano de balas grátis.

Com o passar do tempo, porém, os sonhos da infância foram esquecidos pelo amigo, que se isolou, abandonou o telefone e qualquer outro tipo de contato. “Outros amigos também abandonaram ideais que tinham antes. Eu decidi que não queria perder isso e me manter jovem”, explica.

O dinheiro arrecadado nas promoções pagou as despesas, e Felipe, então com 20 anos, passou um ano e meio viajando sozinho por três continentes: América, Europa e Ásia. Nos seis meses em que passou em cada continente, conversou com crianças de todos os tipos e tentou captar os sonhos e a essência da infância.

“Tem uns traços em comum entre crianças do mundo inteiro”, afirma. Para ele, a principal diferença entre o adulto e a criança é o poder do sonho e da fantasia. “A criança duvida mais da realidade do que das fantasias, e o adulto duvida mais das fantasias”, reflete ele.

Em grande parte dos locais que visitou, ficou preocupado com as condições de vida das crianças e do futuro delas. “Tem muita pobreza. Na Índia teve mais de uma criança que confessou que queria ter farinha para fazer pão no dia seguinte”, descreve ele. Um dia, perguntou para um menino o que pediria para o gênio da lâmpada, caso tivesse essa oportunidade. “Ele disse que queria duas cabras”, contou.

Reuniu os relatos coletados e as belas fotografias que fez em um livro que deve ter 320 páginas e chamar Jovem O Suficiente. O projeto está sendo financiado por um site de crowdfunding. O texto é escrito em formato de cartas para o amigo de infância Luis Felipe, aquele que também sonhava em fazer essa viagem. Para conhecer o livro, clique aqui.

Confira abaixo o trajeto percorrido por Felipe: