Porchat leva tudo o que prometeu para estreia na Record e arrebenta

  • Por Jovem Pan
  • 25/08/2016 11h13
Divulgação/Record

Fábio Porchat cumpriu o que prometeu. Dois dias antes de sua estreia na Record, o apresentador disse que faria um programa divertido. Foi exatamente o que vimos já na madrugada desta quinta-feira (25).

O “Programa do Porchat” começou com tudo o que tem direito. Na abertura, o humorista aproveitou as grandes estrelas da emissora para uma esquete bem engraçada. Rodrigo Faro, Roberto Justus, Marcos Mion, Sabrina Sato e Marcelo Rezende e até “Pica Pau” participaram da cena em que mostravam para Fábio a realidade macabra da TV aberta e a luta exaustiva pela audiência. 

Já no palco, Porchat fez o que faz de melhor. O Stand Up. Seguro. Divertido. Dinâmico. Brincou com o nervosismo da estreia: “se tá difícl pra mim que to começando imagina pra Dilma que tá terminando”. 

O apresentador também encontrou o ponto certo para falar de seus concorrentes. Desejou sorte a Danilo Gentili – que agora terá mais concorrência – e fez piada com a mudança de Pedro Bial por Tiago Leifert no BBB: “será que foi presente ou castigo?”. Nada ofensivo. E quando abordou o segundo lugar, levou Diego Hypolito – medalhista de prata na Olimpíada do Rio – para mostrar que nem sempre ser vice é tão ruim assim.

Também levou o público a se divertir com uma esquete em que mostrava para os jovens da internet – lugar onde Porchat se consolidou – como era uma televisão. Como ligar. Como mexer no controle. Como assistir um programa. E ainda contou com as participações de youtubers famosos como Felipe Castanhari, Winderson Nunes e Kéfera. Tudo teve graça e deixou claro que existe o objetivo de atingir o público da internet.

A sátira não parou por ai. Ao mostrar o processo de escolha da banda “Pedra Letícia” para a atração, brincou com o fato dos integrantes do grupo ameaçarem Dinho Ouro Preto, do Capital Inicial, Luan Santana e MC Guimê. Também arrancou boas risadas. 

Com o show acabado veio a parte do talk. Antes porém, uma entrevista “fake” com Tatá Werneck, ex-parceira de Porchat no Multishow. O comediante ligou para amiga e fingiu uma conversa normal para arrancar algumas respostas. No final, Tatá entregou que Porchat falava mal da Record. Algo muito bem combinado, mas que não ficou forçado. 

Já as entrevistas com Sasha e Wesley Safadão não sustentou o humor como o começo do programa. Muito por conta dos entrevistados do que do entrevistador. Sasha, muito tímida, tinha pouco a dizer e o cantor foi mais pra divulgar o novo trabalho. De resto, tudo mais do mesmo. A esquete com a filha da Xuxa dirigindo um fusca foi o ponto alto deste bloco. 

No geral, o “Programa do Porchat” se mostra um grande acerto da Record. Fábio é a grande estrela do programa. Não precisa de grandes nomes para fazer um bom show e vai encontrar ao longo das próximas semanas o que mais dá certo. Não sei se a audiência vai se manter alta – ficou na liderança quase o tempo todo – mas tem conteúdo, potencial e um apresentador no ponto para fazer sucesso.