Acusados de agredir empresário em frente ao Instituto Lula se entregam à Polícia

  • Por Jovem Pan
  • 16/05/2018 12h27
EFECarlos Alberto Bettoni ficou ferido após sofrer agressão em frente ao Instituto Lula

O ex-vereador de Diadema Manoel Eduardo Marinho, mais conhecido como Maninho do PT, e de seu filho Leandro Eduardo Marinho, se apresentaram à polícia nesta quarta-feira (16), após terem a prisão decretada na última sexta-feira (11).

Os dois são acusados de tentativa de homicídio duplamente qualificado – “por motivo torpe e por dificultar a defesa da vítima” – contra o empresário Carlos Alberto Bettoni, em frente à sede do Instituto Lula, em São Paulo.

Em entrevista exclusiva à Jovem Pan, o diretor do Departamento de Capturas e Delegacias Especializadas (Decade) da Polícia Civil, delegado Oswaldo Nico Gonçalves, explicou que já estava em contato com o advogado dos acusados, que combinaram de se entregar nesta quarta.

Após se apresentarem na Delegacia Especializada em Atendimento ao Turista (Deatur), Maninho do PT e seu filho farão exame de corpo de delito e serão encaminhados para o presídio de Tremembé, no interior do estado ainda nesta tarde.

O caso aconteceu no dia 5 de abril, quando Bettoni gritou ofensas ao PT durante entrevista do senador Lindbergh Farias (RJ) após a notícia de que o juiz Sérgio Moro tinha expedido ordem de prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. O empresário foi empurrado por Maninho e seu filho, e bateu a cabeça em um caminhão que passava no local.

*Com informações do repórter Daniel Lian