Podemos entra no STF para manter Coaf com Moro: ‘É um retrocesso para o Brasil’, diz presidente

  • Por Jovem Pan
  • 29/05/2019 19h12
Michel Jesus/ Câmara dos DeputadosA deputada federal Renata Abreu é a presidente nacional do Podemos

O Podemos entrou com uma Ação Direta de Inconstitucionalidade (ADI) no Supremo Tribunal Federal (STF) para que o Conselho de Controle de Atividades Financeiras (Coaf) permaneça no Ministério da Justiça. O órgão foi transferido para o Ministério da Economia após o Senado aprovar a Medida Provisória 870, nesta terça-feira (28). Em entrevista ao programa Os Pingos nos Is, da Jovem Pan, a deputada federal Renata Abreu (Podemos-SP) explicou a motivação do partido.

“Existe uma inconstitucionalidade nessa questão”, afirmou a presidente nacional do Podemos. “A simples transferência do Coaf para o Ministério da Justiça é uma atribuição exclusiva do presidente da República que poderia ter sido feita por decreto”, disse, lembrando que o Jair Bolsonaro havia levado o Conselho para a pasta de Sergio Moro no início de seu mandato.

Ela atacou a decisão dos parlamentares de tirar o Coaf da pasta da Justiça. “[A transferência] É um retrocesso para o Brasil”, cravou a deputada, destacando a importância do órgão para o combate à corrupção, uma das bandeiras de Moro.

Abreu afirmou que a ação do partido no STF é para fortalecer a decisão de Bolsonaro. “As forças políticas contrárias que estão anuindo com a corrupção estão atuando, então preferimos entrar com a ADI e dar força para o presidente”, explicou. “Não nos conformamos que a decisão do presidente da República não seja respeitada.”

Bloco independente

Renata Abreu ainda comentou o projeto de um bloco independente de partidos composto por Podemos, Pros, PSC, Novo, Avante, Patriota e PV. Juntos, eles teriam até 52 deputados na Câmara. “É um bloco de partidos e parlamentares para debater pontos de uma forma independente. Não é base de governo e muito menos oposição”, disse. “Parece que no Brasil só existe PSL, oposição e centrão, não existe nada além disso, o que não é verdade”, continuou.

A deputada afirmou que o bloco é a favor da reforma da Previdência. “Majoritariamente, somos favoráveis à reforma da Previdência, com algumas ressalvas. No caso do Podemos, defendemos a permanência dos professores na aposentadoria especial”, explicou Renata Abreu.