‘A mentira não é uma coisa ruim’, diz especialista em expressão corporal

  • Por Jovem Pan
  • 25/06/2019 14h27
Jovem PanVitor Santos foi o convidado do Pânico nesta terça-feira (25)

Pânico recebeu nesta terça-feira (25) o youtuber Vitor Santos, dono do canal Metaforando, perito em codificação facial e um dos maiores especialistas em expressão corporal do Brasil.

Craque em identificar os sinais que mostram que uma pessoa não está falando a verdade, Santos destacou que a mentira não é necessariamente algo ruim. “A mentira não é uma coisa ruim, é uma ferramenta de manutenção social”, explicou. “Quem na escola já não mentiu pelo amiguinho?”, questionou, ressaltando que a mentira muitas vezes protege outras pessoas.

Certificado em Facial Action Coding System (FACS) pelo Paul Ekman Group, o único instituto no mundo autorizado a emitir a certificação, Vitor Santos começou a se interessar pelo assunto quando seus pais se divorciaram.

“Passei a ter dificuldade para saber quem estava mentindo em casa, era uma guerra de fake news”, disse o youtuber. Ele teve de prestar atenção nos sinais dos pais e dos parentes para saber se o que eles falavam era verdade ou se só estavam tentando manipulá-lo contra o outro pai.

Análise de Najila Trindade

Um dos vídeos mais famosos do canal de Vitor Santos é o que ele faz uma análise da entrevista de Najila Trindade, modelo que acusa Neymar de estupro, ao jornalista Roberto Cabrini, do SBT.

Para o especialista, ela mostra sinais de estar falando a verdade, mas também de incongruências. “Na entrevista, creio eu que ela estava dopada em algum nível, a resposta dela estava muito lenta”, disse.

“Quando ela fala do estado emocional, ela demonstra convicção. Quando ela fala do que aconteceu no quarto, ela demonstra raiva”, continuou o youtuber. “Quando ela fala como ocorreu [o suposto estupro], ela demonstra sinais de incongruência”, ponderou.

Vitor Santos, no entanto, ressaltou que não existe uma forma de saber com certeza que uma pessoa não está falando a verdade. “Não tem como você julgar de maneira empírica se o outro está mentindo sem entrar na cabeça da pessoa”, esclareceu.