Especialista em segurança digital explica como acontecem os hackeamentos

  • Por Jovem Pan
  • 18/06/2019 14h58
Jovem PanMarcelo Lau foi o convidado do Pânico nesta terça-feira (18)

Depois dos vazamentos de supostas mensagens de Telegram do ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores do Ministério Público, todo mundo passou a prestar ainda mais atenção na segurança digital. Para o especialista em cibersegurança Marcelo Lau e o comentarista de tecnologia da Jovem Pan Carlos Aros, há motivos para preocupação. A dupla foi ao Pânico nesta terça-feira (18) para comentar o assunto.

Lau destacou que a preocupação com cibersegurança não é apenas com os hackeamentos: muitas vezes, os próprios usuários fornecem seus dados de mão beijada para as empresas. “[As empresas] Querem dados sobre o que você consome, o que você é e o que você pode ser”, afirmou. “É importante você ser identificado como um produto para que empresas possam se aproximar de você”, disse. “Quando o serviço é grátis, o produto é você”, resumiu Aros.

Apesar dos vazamentos terem acontecido pelo Telegram, também há golpes envolvendo o hackeamento do WhatsApp. Marcelo Lau explicou como eles acontecem. “Se alguém tiver acesso ao seu telefone e conseguir configurar o WhatsApp no computador, essa pessoa poderá fazer o stalking enquanto você vê as mensagens no seu smartphone”, contou, afirmando que o hacker poderá ler suas mensagens sem você saber.

Um outro jeito é copiar o chip do seu celular. Uma vez que isso acontece, a pessoa perde imediatamente o acesso ao WhatsApp, enquanto o hacker pode ter acesso a todas as conversas e aos contatos. Muitos golpistas têm usado esse método para extorquir pessoas.

Veja abaixo os melhores momentos do debate: