Holiday e fundador do MBL criticam a segunda temporada de ‘O Mecanismo’

  • Por Jovem Pan
  • 13/05/2019 14h28
Jovem PanFernando Holiday e Pedro Deyrot foram os convidados do Pânico nesta segunda-feira (13)

A Netflix lançou na última sexta-feira (10) a segunda temporada de “O Mecanismo“, série de José Padilha sobre a operação Lava Jato. Mas, para o deputado estadual de São Paulo Fernando Holiday (DEM) e Pedro Deyrot, um dos fundadores do Movimento Brasil Livre (MBL), a produção não mostra corretamente o que de fato aconteceu no Brasil nos últimos anos. “A série ignora as pessoas que foram para a rua”, reclamou Deyrot em entrevista ao Pânico nesta segunda-feira (13).

O ativista lembrou de “Tropa de Elite”, outro filme assinado por Padilha, para criticar a série da Netflix. “O Padilha tem a visão do sistema como vilão desde o ‘Tropa de Elite 2’ e transpõe isso para ‘O Mecanismo'”, explicou. O que mais incomodou Deyrot foi o fato do protagonismo dos protestos de rua contra a ex-presidente Dilma Rousseff (PT) ter sido diminuído. “Ele diz que as pessoas que foram às ruas foram manipuladas pelo Aécio [Neves], pelo [Michel] Temer e pelo [Eduardo] Cunha.”

Já Fernando Holiday enxerga a nova temporada de “O Mecanismo” como uma tentativa do cineasta de ganhar a simpatia da esquerda. “Dá a impressão de que o Padilha quer se reconciliar com a esquerda”, comentou o deputado estadual.

Moro e Bolsonaro

Fernando Holiday e Pedro Deyrot também comentaram a política da vida real. Um dos assuntos debatidos foi a declaração do presidente Jair Bolsonaro de que indicará o ministro da Justiça, Sergio Moro, ao Supremo Tribunal Federal (STF).

O fundador do MBL argumentou que Moro pode decepcionar pessoas mais conservadoras que não conhecem os posicionamentos pessoais do ministro. “Ele não compartilha os valores do presidente que as pessoas acham que ele compartilha”, alertou.

Fernando Holiday, por sua vez, criticou a decisão de Bolsonaro de já ter antecipado um acordo para a indicação de Moro ao Supremo. “Quando você indica alguém ao STF, você pressupõe que aquela pessoa indicada está conversando com os ministros e com o Senado. Até onde se sabe, esse trabalho não foi feito”, disse.

A dupla ainda falou sobre o governo Bolsonaro e apontou os erros e acertos até aqui. “O que o Bolsonaro mais acertou foi a equipe econômica”, indicou Pedro Deyrot, elogiando o time do ministro da Economia, Paulo Guedes. “O erro é tornar todas as brigas públicas”, criticou o criador do MBL.