‘É capaz do Bolsonaro saber mais de economia do que o Paulo Guedes’, diz Joice Hasselmann

  • Por Jovem Pan
  • 18/07/2019 14h28
Jovem PanA deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) foi a convidada do Pânico nesta quinta-feira (18)

A deputada federal Joice Hasselmann (PSL-SP) disse, em entrevista ao Pânico nesta quinta-feira (18), que o presidente Jair Bolsonaro é uma das pessoas que ela conhece que aprende as coisas mais rápido. Questionada se o capitão reformado já tinha aprendido sobre economia, tema que ele admite não dominar, a parlamentar afirmou que talvez o presidente saiba mais sobre o assunto que o ministro da Economia, Paulo Guedes.

“Brincando, brincando, é capaz do Bolsonaro saber mais de economia que o Paulo Guedes”, disse a líder do governo no Congresso. Ela ainda afirmou que o ministro deixou a articulação do governo pela aprovação da reforma da Previdência na Câmara após dar algumas “caneladas”.

Falando sobre a votação da reforma, que foi aprovada em primeiro turno no plenário da Câmara na semana passada, Hasselmann disse que o mérito é dela e do presidente da Casa, Rodrigo Maia (DEM-RJ), que trabalharam pela conquista dos votos favoráveis à proposta. A parlamentar confessou que precisou mudar seu estilo para que o trabalho como líder do governo desse resultado. “Todo mundo achava que eu ia chegar chutando o pau da barraca, mas se for para ficar falando, eu falo nos meus canais, na tribuna. Aprendi a engolir sapo para poder entregar alguma coisa”, disse.

Ela contou que negociou com a oposição para que a PEC fosse aprovada, apesar de isso ter gerado estranheza em seus colegas de partido. “Não se mistura economia com ideologia. Deixa para colocar ideologia na pauta de costumes, economia é dinheiro no bolso do povo”, explicou. A deputada ainda defendeu a colega Tabata Amaral (PDT-SP), que foi contra a orientação do partido e votou pela reforma. “Ela já tinha um posicionamento pró-Previdência. Ela não é o PDT raiz, tem um jeitão novo de fazer a esquerda.”

Eduardo Bolsonaro e Glenn Greenwald

Joice Hasselmann também comentou a indicação do deputado Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) para a embaixada brasileira nos Estados Unidos. Ela defendeu a ideia de Jair Bolsonaro. “Ele sabe o que está fazendo”, garantiu.

A parlamentar, no entanto, teme que a imagem de Bolsonaro seja desgastada pela indicação do filho ao cargo. “O presidente tem que tomar as precauções para não ter um desgaste dele”, afirmou.

A deputada ainda falou sobre outro tema que tem tomado o cenário político: as supostas mensagens trocadas entre o ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, e procuradores da Lava Jato. Ela disse que isso não está reverberando em Brasília. “A gente não está nem aí para ele [Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil] em Brasília”, ironizou. “Não muda em nada a nossa vida.”

Joice Hasselmann atacou Glenn Greenwald. “Acho que o Glenn vai ser preso ou deportado”, antecipou, batendo na tecla que as supostas mensagens vieram de uma maneira ilegal. “Estou falando de um cara que pegou, sabe-se lá como, material fruto de crime”, justificou a deputada.