Leandro Narloch diz que historiadores tiveram "vontade de sabotar" série inspirada em seu livro

  • Por Jovem Pan
  • 13/12/2017 14h19
Johnny Drum/ Jovem Pan

Autor da coleção “Guia Politicamente Incorreto da História do Brasil”, o jornalista Leandro Narloch já se colocou em muitas confusões com historiadores. A maior delas talvez tenha sido quando muitos se recusaram a participar da série do canal History Channel inspirada em seus livros. No Pânico na Rádio desta quarta-feira (13), Narloch disse que essa recusa foi como “uma vontade de sabotar” o seu projeto.

“Eu vendi os direitos [do livro] para a produtora e ao fazerem as entrevistas não deixaram claro que a série era do meu livro e os historiadores se sentiram traídos. Talvez seja um vontade de sabotar”, falou.

Apesar da confusão, o jornalista defendeu o direito deles de saírem do projeto por conta do erro da produtora, mas admitiu: “foi triste”. “Parece que é só um preconceito de ‘porque ele discorda de mim não vou participar do programa dele’”, argumentou.

Narloch ainda reconheceu o motivo da resistência que enfrenta dos historiadores: “eu gosto de provocar, é o meu trabalho”. “Meu papel de jornalista é pegar o que eles dizem e discutir ideias”, disse ao emendar que os historiadores se ressentem com jornalistas porque eles “escrevem mal”.

“Tem muito historiador excelente no Brasil, mas tem muita coisa ruim [nos textos]”, declarou.

O jornalista ainda aproveitou para esclarecer outra confusão em que se envolveu ao dar a entender que a ditadura militar no Brasil seria “branda”. “Não falo nada disso. [Quis dizer que] a ditadura encheu o Brasil de estatal , o programa do PSOL parece muito com a ditadura [por conta do] desenvolvimento nacional e [querer] levantar o mercado”, comparou.